terça-feira, abril 10

LATIDORES AUDIOVISUAIS

Cães nascem surdos e cegos, tendo apenas o faro, seu sentido mais importante para sobreviver por até 15 dias, período aproximado que abrem os olhos, pouco tempo depois passam a escutar plenamente. Embora com visão perfeita e ouvindo muito bem, o cachorro adulto continua percebendo o mundo pelo nariz.
A natureza criou o cachorro assim: FARO, VISAO e AUDICAO, nessa ordem. Diferente de humanos (visão, audição e olfato).
Já falamos aqui sobre o processo de humanização de cães e suas consequências catastróficas. Tratar cães como seres humanos é egoísmo; desrespeito com seu amigo e com a mãe natureza; e o começo de qualquer problema comportamental no cão. E é justamente isso que acontece quando trazemos o cão para o nosso meio, queremos que eles vejam dezenas de brinquedos coloridos, persigam bolinhas arremessadas e tudo mais que se mova, enlouqueçam com barulhos de embalagem e que entendam, além de seu nome, outras dezenas de palavras, diálogos, frustrações… Inundamos de atrativos audiovisuais, um ser criado para cheirar.
Com a convivência, o cão vai usando cada vez menos o nariz e, por não estar preparado para usar primordialmente visão e audição, fica frustrado; gerando ansiedade e culminando em comportamentos compulsivos, sendo o mais comum, o excesso de latido para quase tudo que se mova e/ou emita sons.
A maioria das raças caninas foi desenvolvida para trabalho em parceria com os seres humanos, e trazem essas características muito enraizadas em si após centenas de anos de seleção genética. Muitas dessas atividades são extremamente visuais, como, por exemplo, o pastoreio, ajeitando o gado que desvirtuar do caminho. Não por acaso, as raças de cães pastores estão entre as raças que mais costumam latir e estão no topo do meu ranking de latidores audiovisuais (Pastores Alemães, Pastores Belgas, Pastor de Shetland, Kuvasz, Border Collie etc)
O que fazer para evitar e corrigir:
Tanto para prevenir quanto para corrigir deve ser feito o mesmo: estimular o faro em tudo que for possível.
Os melhores momentos para estimular o faro de um cão são: na hora de comer e na hora de brincar. Seguem algumas dicas:
1)      Guarde a ração em containers ou potes, para evitar o barulho de embalagens.
2)      Antes de pôr a vasilha no chão para o cão, posicione o pote de comida sobre a cabeça e um pouco a frente do focinho, de modo que ele não enxergue os grãos, o que o obrigará a farejar o que tem dentro do pote. Quando perceber as narinas dele se mexendo, só aí o deixe comer.
3)      Experimente brincar de procurar brinquedos ao invés de fazê-lo prossegui-los. Não jogue mais bolinhas para ele buscar, prefira esconde-las e mandá-lo procurar, isso o estimulará a usar o faro ou invés da visão. Veja como ensiná-lo a procurar:
a)     Se o seu cão já conhece algum brinquedo pelo nome, pule para o passo B). Se não, tire alguns minutos do dia para brincar com um determinado brinquedo e diga várias vezes o nome desse brinquedo durante a atividade. Esse brinquedo deverá ficar guardado e só deve ser trazido quando for a hora de brincar com seu cachorro. Quando perceber que ele já sabe o nome do brinquedo, vá para o passo B).
b)     Comece escondendo o brinquedo em locais bem próximos a ele e de fácil visualização, em seguida diga o nome do brinquedo para atiçar a vontade dele em acha-lo, com o tempo deixe o brinquedo menos a vista, depois vá aumentando a distancia entre ele e o local onde o brinquedo está escondido.
4)      Sempre que algum estranho chegar à casa, peça-lhe que ignore o cão (não olhar, não falar e não tocar) até que ele se acalme e  se interesse pelo cheiro do convidado. Só então ganhará atenção.


*Bruno Leite | O Terapeuta de Cães
Psicologia Canina & Adestramento
Acompanhe os outros artigos da série Cães com Latidos Excessivos:

Nenhum comentário:

Postar um comentário