quinta-feira, março 24

HIPERATIVIDADE EM CÃES


O seu amigo de quatro patas corre de um lado pra outro, pula em você toda hora, está sempre lhe convidando para brincar? Atenção: essas atitudes, às vezes, não significam só manifestações de alegria. Seu cãozinho pode ser hiperativo e deve ser observado por um especialista. Cães que foram retirados muito cedo do convívio com a mãe, não tiveram tempo de aprender os “limites” que só ela pode impor e ensinar. As dicas a seguir, são do médico veterinário Luiz Antonio Scotti, especialista em comportamento animal.

DICAS PARA NÃO DESENVOLVER A HIPERATIVIDADE:

  • Procurar comprar um animal na idade correta, a partir dos 90 dias 
  • Verificar se a vacinação do filhote foi assinada por um medico veterinário 
  • Dar ração de excelente qualidade e não realizar trocas constantes das rações 
  • Impor limites ao animal é fundamental 
  • O animal não é um brinquedo de pilha que funciona a hora em que a gente quer 
  • Ter um animal de estimação é uma grande responsabilidade 
  • Temos um animal de estimação para interagir 24 do dia 
  • Não podemos querer que o animal nos auxilie na nossa “terapia”, não podemos esperar que ele sirva para combater nossas ansiedades 
  • Animal não deve dormir na cama, porque cão que dorme com o dono vai estar constantemente testando-o 
  • O animal precisa comer, no mínimo, duas vezes por dia 
  • O filhote precisa comer de quatro a cinco vezes por dia 
  • O gato tem que ter comida a vontade à noite 
  • Retirar o horário de alimentação dos animais, do horário de alimentação dos humanos. Quem come primeiro é o Alfa, o dominador. Ou seja, o dono do animal 
  • O animal precisa de espaço. Precisa correr, precisa interagir com outros de sua espécie. Ele precisa ir para o parque e dar uma boa caminhada. Não só aquela caminhada para fazer o xixi e o cocô. 
  • Para tratamento de qualquer problema comportamental, o veterinário precisa conhecer o ambiente e as pessoas que cercam o animal. É importante o médico ir até a casa do cliente 
  • Quando o animal sai para o passeio, ele não pode puxar o dono. Ele tem que andar sempre do lado ou atrás do dono 
  • Para corrigi-lo você pode pegá-lo pela pele do pescoço, como se fosse a mãe dele abocanhando o pescoço dele.
  • Não bata em seu animal, nem com o “rolinho” de jornal. Isto não corrige o animal. O bichinho entende isso como violência e não como correção 



Nenhum comentário:

Postar um comentário